Calila das Mercês lança o questionamento: “quando você pensa em um escritor contemporâneo, saberia rapidamente pensar em alguma escritora enquanto representante? Alguma escritora negra?”. A provocação, pensada a partir do contexto cultural baiano – terra natal de Calila, negra, jornalista, pesquisadora em literatura (UnB) e produtora cultural -, alcança uma dimensão maior, à medida que se observa os panoramas nacionais, tanto da literatura quanto do mercado editorial. [Confira a matéria completa que saiu no Caderno 2 do Diário do Nordeste (Ceará).]