Andrielle Antonia

Andrielle Antonia escreve poesia, conto e crônica. Participa do Coletivo de Mulheres Negras do Recôncavo Luiza Bairros. Ministrou, no “IV Festival de Arte e Cultura de Letras” na Universidade do Estado da Bahia – Campus V, a oficina: “Mais Íntimo: A escrita autobiográfica como registro histórico e mecanismo de liberdade”. Participei, como convidada, de uma Mesa-Diálogos: “REDES SOCIAIS: DIÁLOGOS E EMPODERAMENTOS DISCURSIVOS EM REDE” na Universidade do Estado da Bahia – Campus V.

Citações

"Nunca vi a escrita como uma profissão ou um trabalho, escrever para mim é uma questão de sobrevivência. Escrevo o que sinto e/ou como gostaria de me sentir."

"Costumo pensar que ser mulher negra é ser reticências. Às vezes sinto-me como ponto e vírgula ou até mesmo ponto de continuação. Porém, sei que jamais serei ponto final, pois, como nossas ancestrais, acredito que no fim nós somos herança."

Mini Biografia

Escrever foi a maneira com a qual eu aprendi a lidar com os sentimentos que doíam demais, machucavam e tornavam minha respiração difícil. Criei o Mais Íntimo porque cotidianamente respirar estava se tornando mais e mais doloroso. Eu precisava escrever porque escrever me ajudava a conseguir respirar. Eu escrevo desde pequena, mas demorei bastante tempo para me (re)conhecer enquanto escritora. Nunca vi a escrita como uma profissão ou um trabalho, escrever para mim é uma questão de sobrevivência. Escrevo o que sinto e/ou como gostaria de me sentir.

Outras escritoras de Santo Antônio de Jesus: