Deise Oliveira

Deise Oliveira escreve poesia. Participa de um núcleo de estudo e pesquisa, chamado NEGRAS, na Universidade Federal do Recôncavo da Bahia.

Citações

"Ser mulher negra é saber que sair na rua já é resistir, é saber que se assumir mulher negra já é resitência."

"Eu, mulher negra nordestina pobre poetisa, sinto a dor e a delícia de ser o que sou. E compreendo que essa dor não é culpa minha, e por isso luto."

Mini Biografia

Comecei a escrever com 15 anos; versos clichês carregados de romântismo convencional. Somente aos 22 anos, mais ou menos, me reconheci como mulher negra, a partir daí a libertação e conflitos fizeram morada em minha alma. Foi olhar para trás e perceber episódios de racismo e machismo que sofri e reproduzi, compreender as razões de alguns traumas e o quanto esses fatored estiveram entrelaçados. Me reconhcer negra, me fez conhecer o meu povo negro, o que a colonização nos deixou de herança. Alguns anos antes eu havia percebido que a escrita é minha vida. Entrelaçando essas duas descobertas sobre quem eu sou, iniciou a minha arte resistência. Eu, mulher negra nordestina pobre poetisa, sinto a dor e a delícia de ser o que sou. E compreendo que essa dor não é culpa minha, e por isso luto.