Vânia Melo

Vânia Melo é escritora do gênero poesia. Publicou pela primeira vez
em 2011 na coletânea Sangue Novo: 21 poetas baianos do século XXI. Também colaborou para a publicação Cadernos Negros – Poemas Afro -brasileiros, vol. 35. Seu primeiro livro será publicado em 2017 pela editora Organismo.

Citações

Resistir, pertencer-se e escrever o mundo como eu o sinto.

Sou mulher preta e escrevo o que sinto e desejo, o que vejo e o que não quero mais ver.

Escrevo porque preciso abrir espaços, bordar os caminhos com a palavra, prenhe de grito.

Quando uma mulher escreve, quando uma mulher preta escreve, quando ocupa seu espaço de fala, empodera a si e a outras, presentifica a ação.

Mini Biografia

Sou mulher preta e escrevo o que sinto e desejo, o que vejo e o que não quero mais ver. Porque preciso, porque vivo a urgência de falar, de contar sobre minhas observações e leituras de um espaço que ocupo e que está repleto de dor, de tensão, de luta, de amor, de água, de sangue, de fé, de poesia. Escrevo sobre Pretas, sobre Pretos, sobre Encantados, sobre a metalinguagem de uma vida em versos esculpidos com sangue, escrevo com sangue arbitrariamente derramado por violências que nos atingem em nossas vísceras e doem a todo momento, escrevo com sangue que pulsa, que está vivo, com o sangue que inicia.

Escrevo porque preciso abrir espaços, bordar os caminhos com a palavra, prenhe de grito, com as escritas sobre nós e por nós, nossa história, pois nos reconhecemos em nossos passos, nos nossos afetos, nos nossos estilos a cada verso. Falo sobre erotismo, sobre os ocultos da minha mente, as entranhas do meu corpo, de outros corpos, preciso falar de amor, de luta, de sonhos, de facas, de borboletas… Preciso escrever sem cerceamentos, sem impedimentos, sem qualquer violência que tente me atravancar a escrita, a lida. Preciso invadir com as mãos, com minha voz, todas as melhores possibilidades e sei que quando assim faço, muitas mulheres vão comigo, muitas mulheres pretas vão comigo, muito poder e beleza acompanham escritas pretas femininas. Quando uma mulher escreve, quando uma mulher preta escreve, quando ocupa seu espaço de fala, empodera a si e a outras, presentifica a ação. Fazemos poesia há muito tempo, não vamos parar!